Empresa americana cria dispositivo para carregar celular pedalando!!!

29/08/2012

A empresa americana EcoXGear criou o EcoXPower. Esse sistema consegue captar a energia das pedaladas em uma bicicleta para produzir eletricidade e recarregar a bateria do celular do ciclista.

Com ajuda da energia cinética, o sistema mantém duas lanternas dianteira e traseira em funcionamento. Isso porque ele é equipado com uma bateria interna de íon-lítio. Assim, o sistema consegue armazenar parte da energia gerada durante as pedaladas para usar depois.

O kit é instalado na roda da frente, entre os raios da bike. Além das lanternas, o equipamento tem um suporte instalado no guidão da bicicleta para recarregar o celular. De acordo com a empresa, ele é compatível com iPhone e Android.

O objetivo é que todo esse equipamento proporcione segurança e conforto aos ciclistas. Isso porque ele dispensa que os usuários se preocupem com baterias extras nos sistemas de iluminação, além de conseguir recarregar o celular.

A EcoXGear garante que as peças são à prova d’água. Dessa forma, os ciclistas também não precisam se preocupar em perder o equipamento depois de alguma chuva. O EcoXPower está disponível no site do fabricante por 99,99 dólares.


Emagrecer andando de bicicleta

08/08/2012

 

Todo mundo está cansado de saber que pedalar traz inúmeros benefícios para ficar em forma, sendo a principal a perda calórica. Em quarenta minutos de passeio de bicicleta é possível queimar cerca de 300 calorias, dois meses de exercícios aumenta cerca de 25% a força das pernas, trabalha os músculos do abdômen e dos membros inferiores, em especial quadríceps, glúteos, panturrilha e a parte inferior das costas.

A atividade também melhora a função cardiovascular e faz com que seu organismo trabalhe melhor, sem prejudicá-lo e contribui para regularizar os níveis de pressão arterial, colesterol e triglicérides. Estimula, também, a musculatura intercostal, que é considerada acessória na respiração. Pedalando seus joelhos não sofrem impacto, além disso, a musculatura do quadríceps posteriores da coxa e os glúteos são fortalecidos. O exercício físico de pedalar estimula o sistema imunológico e aumenta o número de glóbulos brancos, ajudando o organismo a defender-se de vírus e bactérias.

Outros efeitos benéficos de andar de bicicleta para o organismo, além da melhora e prevenções dos problemas cardíacos podem ser ressaltadas, como a redução da gordura corporal, contribuindo para a manutenção do peso ideal, a melhoria da função respiratória, redução dos níveis sangüíneos de colesterol e triglicérides (Pedalar reduz o mau colesterol, com isso levando, até uma diminuição do risco de infarto) a redução da ansiedade, regularização do sono e conseqüentemente, um melhor desempenho intelectual e maior equilíbrio emocional.


Corretores preparados para vender mais e melhor

27/07/2012

Diante dos consumidores exigentes, os profissionais devem estar preparados para prestar um excelente atendimento e encantar seus clientes.

Só vender não basta. É necessário vender bem. Um atendimento personalizado faz toda a diferença na hora de conquistar um cliente. O corretor deve se preocupar em encantar o consumidor, a venda será a conseqüência do ótimo atendimento. Para isso acontecer, o profissional deve estar atento e algumas dicas que contribuem para diferenciar seu trabalho. De acordo com o consultor especialista em atendimento ao cliente, Sergio Almeida, o mais importante é ser atencioso e orientar os consumidores de maneira adequada, pois aquele que se sentir bem atendido se torna fiel ao corretor. É o que ele chama de ‘economia de fidelização’. “O bom atendimento gera indicação do prestador de serviços. Assim, é possível lucrar de 20 a 80% a mais do que o normal”, garante o consultor.

Segundo César Frazão, consultor especializado em vendas e autor do livro “Como formar, Treinar e Liderar Equipes de Vendas”, três fatores práticos ajudam a elevar as vendas, São eles: otimismo, competência e criatividade. “É preciso pensar de forma positiva e imaginar o cliente comprando, criando assim imagens e cenários positivos em sua mente”, explica Frazão.

Nesse contexto, Almeida aconselha que o corretor pesquise dados do consumidor antes de visitá-lo para oferecer o seguro. Quando o corretor conhece o cliente para o qual oferece os serviços, é mais fácil identificar o perfil e indicar o seguro ideal para a pessoa. Além disso, ele também poderá indicar outros tipos de seguros e não só o que o cliente tinha em vista inicialmente. Almeida enfatiza que “além da competência técnica, é necessário conhecer o cliente. Porque mais importante do que vender uma vez, é vender sempre”.

Outro ponto fundamental que o corretor deve levar em consideração é a importância do network. Para Frazão, uma das principais armas de vendas é a indicação e isso só é possível por meio de uma forte rede de relacionamentos.

O pós-venda também é um passo muito importante na conquista de clientes. Segundo o consultor especializado em vendas, ele tem como objetivo principal aumentar o índice de satisfação, fidelizando o cliente para futuras compras ou indicações de outros amigos. “Poucas coisas podem ser mais lucrativas do que um bom programa de pós-venda. É necessário manter um contato com os clientes após a venda, seja por e-mail ou por telefonemas. A venda não acaba quando o cliente compra. Ela está apenas começando”, completa.

Almeida considera que é natural que ocorram algumas dificuldades com o cliente em relação ao serviço oferecido, mas ele destaca que a eficiência na resolução do problema é o que pode fazer a diferença. “Problemas acontecem, mas o cliente até perdoa se forem resolvidos com rapidez e atenção. O que o cliente não aceita é o descaso e a desconsideração com a situação dele”, completa o consultor.

Diante a todas as dicas, o corretor não pode deixar de ter em mente a importância da atualização profissional. “A atualização deve ser constante, permanente. O vendedor de sucesso gosta de aprender e se atualizar com freqüência, pois sabe que estar a frente da concorrência é fundamental, e, além do mais, ele quer progredir na carreira. É extremamente importante participar de cursos, palestras e até mesmo fazer uma faculdade”, enfatiza Frazão.

Dicas de como ser um bom vendedor:

  1. Transmita entusiasmo na fala;
  2. Invista em sua aparência;
  3. Acredite no produto que você vende;
  4. Venda benefícios e não características do produto;
  5. Pense grande e ofereça alto. Muitas vezes o pequeno empresário passa por dificuldades financeiras e tem dificuldades de enxergar o verdadeiro potencial do mercado em que está ofertando o seu produto.
  6. Faça investimentos no seu preparo, leia bons livros sobre vendas;
  7. Simplifique. Faça seu cliente economizar tempo;
  8. Diferencie-se do seu concorrente em algum aspecto;
  9. Trabalhe duramente, se esforce;
  10.  Acredite em si mesmo.

 


Corretor deve buscar adaptação às mudanças para manter competitividade

02/07/2012

A União dos Corretores de Seguros (UCS) liderada pelo colega Luiz Morales,  realizou mais uma edição da série “Trocando Ideias”. O evento aconteceu dia 21/06, em São Paulo, com palestra do diretor de Técnico de Riscos Especiais, Claudio Saba.

Na ocasião, o executivo fez um paralelo da evolução da vida na Terra, em que os “fracos ou distraídos” entram em extinção, mas os fortes sobrevivem. “O corretor que conhece o mercado, troca ideias, busca qualificação, esse será sempre competitivo. É preciso ler, acompanhar o que acontece, adaptar-se às mudanças”, argumenta Saba.

Na opinião dele, o fim do monopólio determinou, por exemplo, que a cobertura de danos elétricos tenha muitas variações entre as companhias. “Agora há cerca de 100 resseguradoras e as condições de exigências são diversificadas. O corretor precisa busca mais capacitação, entender em profundidade o clausulado de cada companhia e respectivos produtos. A lição de casa é se reinventar, expandir a atuação e ampliar o mix de carteira”.

Saba também apontou que a Marítima tem a mais rápida indenização porque é muito criteriosa na seleção do risco. “Se der sinistro, não tem mais burocracia”, reforça.

Nesse sentido, ele confirmou que o mercado cresceu 16% em Patrimonial no ano passado, segundo dados da Susep, enquanto a Marítima ultrapassou os 40% em arrecadação de prêmios. “Antes mesmo da abertura do mercado, a companhia vinha preparando os corretores parceiros. Também mantemos um intenso programa de treinamento. O crescimento da companhia é resultado direto dessas ações”, finaliza.

Data: 22.06.2012 – Fonte: CQCS | Pedro Duarte


Faça parte do “UCS – Loucos por Bike”!

30/05/2012

Os corretores de seguros da UCS usam a Bike para obter qualidade de vida, emagrecer, ganhar resistência ou simplesmente se movimentar. Esses são alguns dos principais objetivos das pedaladas de Bike coordenadas pela UCS.

Todos os domingos a partir das 8h30 da manhã, corretores e amigos dos mais variados biótipos e idades se reúnem para participar das atividades direcionadas com a Bike na ciclofaixa; sempre respeitando os limites de cada um.

O passeio é muito divertido e os resultados são visíveis!

Se você gosta de pedalar, não perca tempo e participe do grupo “Loucos por Bike” para partilhar conosco de momentos de felicidade e descontração, sem esquecer dos benefícios trazidos à sua saúde.

(Não tem custo nenhum e não é necessário ser associado à UCS).

 

Vamos Juntos!!!

 

Luiz Morales (Presidência UCS)


Estratégias vencedoras para fidelizar os segurados

17/05/2012

 A relação com o cliente pós-fechamento do contrato de seguro é uma das principais estratégias para manter a fidelização em futuras transações. O processo de comunicação, no entanto, requer o abandono de velhos conceitos de mercado, compreensão das novas demandas e adaptação às formas modernas de estabelecer contato, não esquecendo, sobretudo, da abordagem presencial.

“O cliente tem o desejo de construir um relacionamento de confiança, por isso o atendimento de qualidade é um diferencial competitivo”, avalia o especialista da RPM Consultoria de Negócios, Hélio Teixeira. Nesse contexto, ele define quatro estilos de comportamento do cliente, os quais exigem fórmulas específicas para manter a comunicação.

O perfil “Diretor”, segundo Teixeira, diz respeito ao cliente ligado a tarefas, independente, prático, que aspira resultados. Além disso, valoriza a preparação e admira profissionalismo. “Como dica aconselho que o corretor passe todas as informações exatas. Se ele descobrir que existe uma informação incorreta, a credibilidade do profissional corre o risco de diminuir”, ressalta.

O tipo “Comunicador”, na visão do especialista, é extrovertido, porém mais ligado a pessoas. “Espontâneo, ele prioriza o relacionamento a negócios”. Para esse cliente, Teixeira recomenda a utilização de cases, apresentando soluções que beneficiaram pessoas conhecidas do seu círculo, para que este se sinta mais confortável.

Já o jeito “Analítico” traz características como persistência, organização e perfeccionismo. “Esse segurado deseja informação de qualidade completa, por possuir pensamento lógico. O ideal é fornecer informações da maneira mais precisa e completa”, reforça.

Com traços de apoiador e mais dependente, o estilo “Planejador” busca no corretor um parceiro. “Semelhante ao “Comunicador”, evita o confronto e tem maior foco na relação do que nos negócios”, esclarece Teixeira. “O corretor deve enfatizar a este cliente que ele está tomando a decisão certa. Para isso, deve ser paciente, pois o ritmo de escolha desse consumidor costuma ser mais devagar”, completa.

Data: 16/05/2012 – Fonte: CQCS | Camila Barreto


Corretores preparados para vender mais e melhor

11/05/2012

Diante dos consumidores exigentes, os profissionais devem estar preparados para prestar um excelente atendimento e encantar seus clientes.

Só vender não basta. É necessário vender bem. Um atendimento personalizado faz toda a diferença na hora de conquistar um cliente. O corretor deve se preocupar em encantar o consumidor, a venda será a conseqüência do ótimo atendimento. Para isso acontecer, o profissional deve estar atento e algumas dicas que contribuem para diferenciar seu trabalho. De acordo com o consultor especialista em atendimento ao cliente, Sergio Almeida, o mais importante é ser atencioso e orientar os consumidores de maneira adequada, pois aquele que se sentir bem atendido se torna fiel ao corretor. É o que ele chama de ‘economia de fidelização’. “O bom atendimento gera indicação do prestador de serviços. Assim, é possível lucrar de 20 a 80% a mais do que o normal”, garante o consultor.

Segundo César Frazão, consultor especializado em vendas e autor do livro “Como formar, Treinar e Liderar Equipes de Vendas”, três fatores práticos ajudam a elevar as vendas, São eles: otimismo, competência e criatividade. “É preciso pensar de forma positiva e imaginar o cliente comprando, criando assim imagens e cenários positivos em sua mente”, explica Frazão.

Nesse contexto, Almeida aconselha que o corretor pesquise dados do consumidor antes de visitá-lo para oferecer o seguro. Quando o corretor conhece o cliente para o qual oferece os serviços, é mais fácil identificar o perfil e indicar o seguro ideal para a pessoa. Além disso, ele também poderá indicar outros tipos de seguros e não só o que o cliente tinha em vista inicialmente. Almeida enfatiza que “além da competência técnica, é necessário conhecer o cliente. Porque mais importante do que vender uma vez, é vender sempre”.

Outro ponto fundamental que o corretor deve levar em consideração é a importância do network. Para Frazão, uma das principais armas de vendas é a indicação e isso só é possível por meio de uma forte rede de relacionamentos.

O pós-venda também é um passo muito importante na conquista de clientes. Segundo o consultor especializado em vendas, ele tem como objetivo principal aumentar o índice de satisfação, fidelizando o cliente para futuras compras ou indicações de outros amigos. “Poucas coisas podem ser mais lucrativas do que um bom programa de pós-venda. É necessário manter um contato com os clientes após a venda, seja por e-mail ou por telefonemas. A venda não acaba quando o cliente compra. Ela está apenas começando”, completa.

Almeida considera que é natural que ocorram algumas dificuldades com o cliente em relação ao serviço oferecido, mas ele destaca que a eficiência na resolução do problema é o que pode fazer a diferença. “Problemas acontecem, mas o cliente até perdoa se forem resolvidos com rapidez e atenção. O que o cliente não aceita é o descaso e a desconsideração com a situação dele”, completa o consultor.

Diante a todas as dicas, o corretor não pode deixar de ter em mente a importância da atualização profissional. “A atualização deve ser constante, permanente. O vendedor de sucesso gosta de aprender e se atualizar com freqüência, pois sabe que estar a frente da concorrência é fundamental, e, além do mais, ele quer progredir na carreira. É extremamente importante participar de cursos, palestras e até mesmo fazer uma faculdade”, enfatiza Frazão.

Dicas de como ser um bom vendedor:

  1. Transmita entusiasmo na fala;
  2. Invista em sua aparência;
  3. Acredite no produto que você vende;
  4. Venda benefícios e não características do produto;
  5. Pense grande e ofereça alto. Muitas vezes o pequeno empresário passa por dificuldades financeiras e tem dificuldades de enxergar o verdadeiro potencial do mercado em que está ofertando o seu produto.
  6. Faça investimentos no seu preparo, leia bons livros sobre vendas;
  7. Simplifique. Faça seu cliente economizar tempo;
  8. Diferencie-se do seu concorrente em algum aspecto;
  9. Trabalhe duramente, se esforce;
  10. Acredite em si mesmo.

 

Fonte: Acoplan em foco, edição nº 40, págs. 6 e 7.


Como os cinquentões devem se preparar para a aposentadoria

09/05/2012

Não raro, quando as pessoas falam que alguém está passando por uma fase, elas se referem a uma criança de poucos anos ou a um adolescente. Mas há outra idade em que as pessoas passam por um importante período de transição, também marcado por ansiedade e revolta: essa fase pode ser chamada de pré-aposentadoria.

Ela começa quando os trabalhadores alcançam o fim da casa dos 50 anos, embora lhes seja dito que eles precisam trabalhar por pelo menos mais uma década para maximizar sua aposentadoria. É o período que a Prudential Financial chama de a zona vermelha e outra companhia de seguros, a Allianz Life Insurance Company, classifica de fase de transição.

As duas companhias tratam do período da pré-aposentadoria no contexto da venda de anuidades – produtos que oferecem benefícios fiscais e renda vitalícia em troca de grandes somas de dinheiro. Mas comprar um seguro ou algum outro produto financeiro é a parte fácil do planejamento de aposentadoria. O trabalho duro deve acontecer antes.

Eis alguns procedimentos para que a fase da pré-aposentadoria seja superada com o mínimo de tensão e nervosismo:

– Seja específico no planejamento de sua vida – Essa pode ser a parte mais difícil do exercício; o resto são apenas números. Quais são as atividades que realmente importam para você? Para onde você quer – ou necessita – viajar? Que tipo de estilo de vida você acha que terá? Há maneiras de ajudar nisso. Uma variedade de livros e sites da internet alega poder ajudar com o planejamento de estilo de vida. A companhia de fundos mútuos T. Rowe Price tem um novo exercício interativo on-line chamado Ready 2 Retire (Pronto para a Aposentadoria) que guia trabalhadores mais idosos em algumas dessas dúvidas. Faz sentido conseguir uma pessoa boa com números ou um contador que entenda disso para ajudá-lo a perceber qual é a estratégia mais adequada para o seu caso. Consulte pelo menos uma companhia especializada em aconselhamento financeiro.

– Faça um inventário de todos os seus ativos – Contas de aposentadoria, poupança, planos de aposentadoria da empresa, o valor de sua residência, entre outros. Tome como parâmetro o tempo que há de hoje até a aposentadoria de fato para decidir, por conta própria ou com a ajuda de um especialista, quais desses ativos vão bancar a aposentadoria antecipada e quais vão custear sua aposentadoria mais tardia – e quanto eles permitirão que você gaste.

– Estude também os impostos – Informe-se sobre as características de impostos dessas várias cestas de dinheiro. Quais delas provocarão eventos passíveis de recolhimento de impostos quando você sacar dinheiro? Seu estado e município oferecem isenções fiscais sobre propriedades ou renda para aposentados? Quanto você pode economizar com impostos se mudar a aposentadoria? Os impostos são apenas um item do orçamento familiar, mas os aposentados têm muitas opções para administrar seus gastos tributários.
– Organize suas dívidas – Pode parecer bom se aposentar com dívidas, especialmente quando se trata de algo como uma hipoteca de juros muito baixos. Mas esse não é o caso se você precisa sacar dinheiro de impostos diferidos para fazer pagamentos de empréstimos com juros altos. Além do mais, uma vez que você se aposenta, pode ser mais difícil obter uma linha crédito imobiliário residencial. Portanto, prepare-se para pagar os empréstimos que você não quer manter e defina os que você quer manter.

– Pense em conseguir ajuda – A decisão mais cara e perigosa que você pode tomar a essa altura é escolher o consultor financeiro errado e entregar todo o seu dinheiro para ele. Não se apresse em consolidar todo o seu dinheiro em apenas uma pessoa, mesmo que eventualmente você caminhe nessa direção. Descubra em quais aspectos do planejamento financeiro de aposentadoria você precisa ou não de ajuda. Informe-se sobre os diferentes tipos de consultores financeiros e no que eles são especializados.

Converse com vários antes de escolher seu preferido.

– Pesquise os serviços de aposentadoria – Grandes corretoras de descontos e companhias de fundos mútuos poderão fazer muita coisa em troca de pouco dinheiro em termos de organização e retiradas automáticas de aposentadoria para você. Organizações sem fins lucrativos locais e governos oferecem muitos serviços e atividades para aposentados gratuitamente ou a custos reduzidos.

– Prepare-se para sua próxima ocupação – Você quer parar com tudo, trabalhar a toda um dia e aposentar-se totalmente no outro? Em caso negativo, use os seus últimos três ou quatro anos antes da aposentadoria para se preparar para a próxima fase. Faça cursos, estabeleça um negócio paralelo ou comece a preparar o terreno para a Fase II, de modo que, quando a aposentadoria vier, você esteja pronto. Também ajuda gastar dinheiro enquanto você ainda está ganhando. Equipe sua marcenaria ou estúdio de artes antes de você parar de trabalhar; assim será mais fácil arcar com as despesas.

– Comece a fazer experiência com o estilo de vida – Se você pretende mudar dramaticamente de vida na aposentadoria, use suas férias entre o momento presente e a chegada da aposentadoria para viver um pouco. Viaje para lugares onde você pretende passar algum tempo quando se aposentar. Envolva-se em atividades de fim de semana como aquelas que você acha que estará fazendo quando parar de trabalhar. Você poderá até mesmo mudar de ideia a respeito da aposentadoria, mas terá se divertido ao longo do caminho. (Tradução Mario Zamarian)

Fonte: Valor Econômico

Autor: Linda Stern | Reuters, de Washington


Dicas gerais – Bike

09/05/2012

Como preparar um passeio

Qualquer passeio, por mais belo que possa ser as paisagens percorridas ou por mais excitante que possa ser o trajeto, perde muito do seu interesse e brilho se as avarias mecânicas ou a fadiga se interessarem por nós. Acordar de manhã, olhar o céu e partir de improviso para longe, para fazer um passeio solitário, pode ser excitante e espontâneo, mas acabar sozinho, no meio de uma serra, a quarenta quilômetros do carro e a cem de casa, com a corrente quebrada e sem um saca-correntes, bem é o suficiente para qualquer um amaldiçoar a sua sorte e nunca mais esquecer da aborrecida preparação. Para evitar esta dolorosa aprendizagem, juntamos aqui alguns conselhos ditados pela experiência e bom senso, mas aos quais não damos, muitas vezes, a devida importância.

Preparação do Ciclista

Julgavam que era só subir na bicicleta e pedalar ? Bom, para os que se encontravam em melhor forma, talvez seja assim, mas com o estilo de vida geralmente sedentário a que as sociedades modernas convidam, o mais provável que os mais “preguiçosos” de entre nós se encontrem, no meio de um passeio algo difícil, com dificuldades em acompanhar os demais. E acreditem que ir para um passeio sofrer afasta as pessoas desta prática, desmotivando-as. Passeios de mountain bike devem ser sinônimos de prazer e deixarem entre nós a vontade de voltar. Como os passeios guiados não excedem, geralmente os trinta e cinco quilômetros, prepare-se esta distância como meta. Faça passeios semanais, aumentando gradualmente a distância percorrida até que se sinta capaz de cumprir de forma confortável, sem grande esforço. Em vez de tentar cumprir a distância em tempo rercorde, concentre-se antes em encontrar o “seu” ritmo de pedalada, aquele que permitirá percorrer o trajeto com o mínimo esforço. Vai ver que em breve você estará desbravando os mais diversos caminhos deste nosso belo país e até disputando competições.

Preparação da Bicicleta

Também nossa fiel montada necessita de algumas atenções antes da partida de um passeio ou competição. Deve ser feita uma vistoria, em busca de focos de problemas e indícios dos mesmos. Lubrificar a corrente, os cabos e ouras peças móveis que porventura disso necessitem, como cubos, o eixo do movimento central ou os eixos dos pedais, contribui para um melhor desempenho da bicicleta e um maior conforto do ciclista. Devem ser verificados também o aperto dos parafusos, a regulagem das mudanças de marchas e o estado dos freios e respectivas sapatas. Não esquecer os pneus e câmaras de ar. Executar estas tarefas na véspera da grande partida, assegura e antecipa uma pedalada sem problemas mecânico, logo mais agradável!

Excesso de Bagagem

A quantidade de ferramentas e bagagem que irá levar para um passeio vai depender , essencialmente, da duração do mesmo. O objetivo é conseguir um adequado grau de autonomia. Para passeios curtos, de apenas um dia, deve levar um pochete, por exemplo, com uma câmara de ar, remendos e cola, uma bomba e um saca corrente e uma ferramenta multi-uso conhecido também como “Magaiver”. Isto será o mínimo indispensável. A medida que a duração do passeio aumenta, também aumentará o número de ferramentas a transportar. Um pneu sobressalente, chave de raios, elos de ligação para as correntes serão elementos para uma pedalada de vários dias, por exemplo. Claro que se necessitar transportar barraca, saco de dormir, material de camping, e suas vestes, será melhor recorrer a um conjunto de bolsas próprias para transporte em bicicleta, que se prendem ao bagageiro (garupa) , chamado de alforje. Evite de pedalar com mochilas, pois estas além de incomodar tiram o equilíbrio e estabilidade do ciclista. Vigie o peso total e leve somente o indispensável. Sobretudo não descuide da segurança. Capacete, luvas e óculos de proteção são indispensáveis. Um bom protetor solar e barras energéticas podem contribuir para um conforto maior do ciclista. O que não deve deixar de levar é água, e quanto mais melhor. Duas caramanholas de água ou um reservatório dos de transportar às costas, conhecido como “Camel Back”, transportarão a água que deve levar a beber com freqüência, para prevenir uma eventual desidratação.


Saindo do sedentarismo pelo ciclismo

03/05/2012

 

O ciclismo continua sendo um sinónimo de aventura. Independente de torneios, campeonatos ou qualquer competição. É comum amigos com interesses afins reunirem-se para fazer longos ou curtos passeios de bicicleta, mesmo que seja no monte ou em estrada, ou até mesmo em locais mais inóspitos e selvagens, regado a muita amizade, solidariedade e divertimento. O praticante do ciclismo é chamado de ciclista.

Há outros tipos de ciclismo, entre eles, o estático. O ciclismo estático é a prática de ciclismo em bicicletas ergométricas ( iguais de academias/ginásio). Esse exercício é recomendado também para as pessoas que apresentaram lesões nos joelhos, quadris, coluna e aqueles que não podem caminhar. É aconselhável à grávidas, idosos com problemas de osteoporose e principalmente obesos.

História do Ciclismo:

O Ciclismo surgiu  a partir do ano de 1890. Depois do surgimento nasceram as grandes provas que ao decorrer os anos, tornaram-se clássicos. No ano de 1893, foi realizado o primeiro campeonato do mundo. Com provas de sprints e meio fundo. Esta prova foi produzida para os corredores amadores.

O ciclismo começou a fazer parte dos campeonatos olímpicos desde  a primeira edição dos jogos em Atenas. Quando os eventos ainda eram feitos apenas na pista.

Uma atividade praticada somente por homens, foi em Seul em 1988, as mulheres participaram pela primeira vez.

É preciso ter alguns cuidados físicos.

Alguns cuidados físicos para o ciclismo:

Se você pretende praticar ciclismo, como outra atividade qualquer, precisa estar ciente de alguns cuidados que é preciso ter. Acima de tudo, a sua saúde é o mais importante. Por isso, acompanhe essas dicas:

· Dê preferência ao andar de bike no período vespertino, ou quando já não houver aquele sol muito quente.

É extremamente importante que antes de iniciar qualquer atividade física, procure um médico para verificar se pode exercitar sem correr riscos de saúde.

· Use sempre um relógio, pois ele determinará a duração da sua atividade física.

· O aquecimento é importante. Devem fazer-se alongamentos durante 10 minutos antes e após a atividade física.

· Alimentar-se com uma fruta ou suco/sumo (não mais que 200 ml), 30 minutos antes, durante e logo após o exercício. Ingerir água filtrada somente em pequenas quantidades.

· Devemos dar preferência para caminhar, pedalar ou nadar em um só período. Ao término da atividade física devemos sentir-nos bem. A qualquer sinal de dores, cãibras, falta de ar, cansaço extremo, é recomendado que pare. Depois, é recomendável um contato com o médico. A corrida pode ser uma coisa nessesaria pra saude e para o corpo.

Por Marcelo Rudini