Como os cinquentões devem se preparar para a aposentadoria

09/05/2012

Não raro, quando as pessoas falam que alguém está passando por uma fase, elas se referem a uma criança de poucos anos ou a um adolescente. Mas há outra idade em que as pessoas passam por um importante período de transição, também marcado por ansiedade e revolta: essa fase pode ser chamada de pré-aposentadoria.

Ela começa quando os trabalhadores alcançam o fim da casa dos 50 anos, embora lhes seja dito que eles precisam trabalhar por pelo menos mais uma década para maximizar sua aposentadoria. É o período que a Prudential Financial chama de a zona vermelha e outra companhia de seguros, a Allianz Life Insurance Company, classifica de fase de transição.

As duas companhias tratam do período da pré-aposentadoria no contexto da venda de anuidades – produtos que oferecem benefícios fiscais e renda vitalícia em troca de grandes somas de dinheiro. Mas comprar um seguro ou algum outro produto financeiro é a parte fácil do planejamento de aposentadoria. O trabalho duro deve acontecer antes.

Eis alguns procedimentos para que a fase da pré-aposentadoria seja superada com o mínimo de tensão e nervosismo:

– Seja específico no planejamento de sua vida – Essa pode ser a parte mais difícil do exercício; o resto são apenas números. Quais são as atividades que realmente importam para você? Para onde você quer – ou necessita – viajar? Que tipo de estilo de vida você acha que terá? Há maneiras de ajudar nisso. Uma variedade de livros e sites da internet alega poder ajudar com o planejamento de estilo de vida. A companhia de fundos mútuos T. Rowe Price tem um novo exercício interativo on-line chamado Ready 2 Retire (Pronto para a Aposentadoria) que guia trabalhadores mais idosos em algumas dessas dúvidas. Faz sentido conseguir uma pessoa boa com números ou um contador que entenda disso para ajudá-lo a perceber qual é a estratégia mais adequada para o seu caso. Consulte pelo menos uma companhia especializada em aconselhamento financeiro.

– Faça um inventário de todos os seus ativos – Contas de aposentadoria, poupança, planos de aposentadoria da empresa, o valor de sua residência, entre outros. Tome como parâmetro o tempo que há de hoje até a aposentadoria de fato para decidir, por conta própria ou com a ajuda de um especialista, quais desses ativos vão bancar a aposentadoria antecipada e quais vão custear sua aposentadoria mais tardia – e quanto eles permitirão que você gaste.

– Estude também os impostos – Informe-se sobre as características de impostos dessas várias cestas de dinheiro. Quais delas provocarão eventos passíveis de recolhimento de impostos quando você sacar dinheiro? Seu estado e município oferecem isenções fiscais sobre propriedades ou renda para aposentados? Quanto você pode economizar com impostos se mudar a aposentadoria? Os impostos são apenas um item do orçamento familiar, mas os aposentados têm muitas opções para administrar seus gastos tributários.
– Organize suas dívidas – Pode parecer bom se aposentar com dívidas, especialmente quando se trata de algo como uma hipoteca de juros muito baixos. Mas esse não é o caso se você precisa sacar dinheiro de impostos diferidos para fazer pagamentos de empréstimos com juros altos. Além do mais, uma vez que você se aposenta, pode ser mais difícil obter uma linha crédito imobiliário residencial. Portanto, prepare-se para pagar os empréstimos que você não quer manter e defina os que você quer manter.

– Pense em conseguir ajuda – A decisão mais cara e perigosa que você pode tomar a essa altura é escolher o consultor financeiro errado e entregar todo o seu dinheiro para ele. Não se apresse em consolidar todo o seu dinheiro em apenas uma pessoa, mesmo que eventualmente você caminhe nessa direção. Descubra em quais aspectos do planejamento financeiro de aposentadoria você precisa ou não de ajuda. Informe-se sobre os diferentes tipos de consultores financeiros e no que eles são especializados.

Converse com vários antes de escolher seu preferido.

– Pesquise os serviços de aposentadoria – Grandes corretoras de descontos e companhias de fundos mútuos poderão fazer muita coisa em troca de pouco dinheiro em termos de organização e retiradas automáticas de aposentadoria para você. Organizações sem fins lucrativos locais e governos oferecem muitos serviços e atividades para aposentados gratuitamente ou a custos reduzidos.

– Prepare-se para sua próxima ocupação – Você quer parar com tudo, trabalhar a toda um dia e aposentar-se totalmente no outro? Em caso negativo, use os seus últimos três ou quatro anos antes da aposentadoria para se preparar para a próxima fase. Faça cursos, estabeleça um negócio paralelo ou comece a preparar o terreno para a Fase II, de modo que, quando a aposentadoria vier, você esteja pronto. Também ajuda gastar dinheiro enquanto você ainda está ganhando. Equipe sua marcenaria ou estúdio de artes antes de você parar de trabalhar; assim será mais fácil arcar com as despesas.

– Comece a fazer experiência com o estilo de vida – Se você pretende mudar dramaticamente de vida na aposentadoria, use suas férias entre o momento presente e a chegada da aposentadoria para viver um pouco. Viaje para lugares onde você pretende passar algum tempo quando se aposentar. Envolva-se em atividades de fim de semana como aquelas que você acha que estará fazendo quando parar de trabalhar. Você poderá até mesmo mudar de ideia a respeito da aposentadoria, mas terá se divertido ao longo do caminho. (Tradução Mario Zamarian)

Fonte: Valor Econômico

Autor: Linda Stern | Reuters, de Washington

Anúncios

Dicas gerais – Bike

09/05/2012

Como preparar um passeio

Qualquer passeio, por mais belo que possa ser as paisagens percorridas ou por mais excitante que possa ser o trajeto, perde muito do seu interesse e brilho se as avarias mecânicas ou a fadiga se interessarem por nós. Acordar de manhã, olhar o céu e partir de improviso para longe, para fazer um passeio solitário, pode ser excitante e espontâneo, mas acabar sozinho, no meio de uma serra, a quarenta quilômetros do carro e a cem de casa, com a corrente quebrada e sem um saca-correntes, bem é o suficiente para qualquer um amaldiçoar a sua sorte e nunca mais esquecer da aborrecida preparação. Para evitar esta dolorosa aprendizagem, juntamos aqui alguns conselhos ditados pela experiência e bom senso, mas aos quais não damos, muitas vezes, a devida importância.

Preparação do Ciclista

Julgavam que era só subir na bicicleta e pedalar ? Bom, para os que se encontravam em melhor forma, talvez seja assim, mas com o estilo de vida geralmente sedentário a que as sociedades modernas convidam, o mais provável que os mais “preguiçosos” de entre nós se encontrem, no meio de um passeio algo difícil, com dificuldades em acompanhar os demais. E acreditem que ir para um passeio sofrer afasta as pessoas desta prática, desmotivando-as. Passeios de mountain bike devem ser sinônimos de prazer e deixarem entre nós a vontade de voltar. Como os passeios guiados não excedem, geralmente os trinta e cinco quilômetros, prepare-se esta distância como meta. Faça passeios semanais, aumentando gradualmente a distância percorrida até que se sinta capaz de cumprir de forma confortável, sem grande esforço. Em vez de tentar cumprir a distância em tempo rercorde, concentre-se antes em encontrar o “seu” ritmo de pedalada, aquele que permitirá percorrer o trajeto com o mínimo esforço. Vai ver que em breve você estará desbravando os mais diversos caminhos deste nosso belo país e até disputando competições.

Preparação da Bicicleta

Também nossa fiel montada necessita de algumas atenções antes da partida de um passeio ou competição. Deve ser feita uma vistoria, em busca de focos de problemas e indícios dos mesmos. Lubrificar a corrente, os cabos e ouras peças móveis que porventura disso necessitem, como cubos, o eixo do movimento central ou os eixos dos pedais, contribui para um melhor desempenho da bicicleta e um maior conforto do ciclista. Devem ser verificados também o aperto dos parafusos, a regulagem das mudanças de marchas e o estado dos freios e respectivas sapatas. Não esquecer os pneus e câmaras de ar. Executar estas tarefas na véspera da grande partida, assegura e antecipa uma pedalada sem problemas mecânico, logo mais agradável!

Excesso de Bagagem

A quantidade de ferramentas e bagagem que irá levar para um passeio vai depender , essencialmente, da duração do mesmo. O objetivo é conseguir um adequado grau de autonomia. Para passeios curtos, de apenas um dia, deve levar um pochete, por exemplo, com uma câmara de ar, remendos e cola, uma bomba e um saca corrente e uma ferramenta multi-uso conhecido também como “Magaiver”. Isto será o mínimo indispensável. A medida que a duração do passeio aumenta, também aumentará o número de ferramentas a transportar. Um pneu sobressalente, chave de raios, elos de ligação para as correntes serão elementos para uma pedalada de vários dias, por exemplo. Claro que se necessitar transportar barraca, saco de dormir, material de camping, e suas vestes, será melhor recorrer a um conjunto de bolsas próprias para transporte em bicicleta, que se prendem ao bagageiro (garupa) , chamado de alforje. Evite de pedalar com mochilas, pois estas além de incomodar tiram o equilíbrio e estabilidade do ciclista. Vigie o peso total e leve somente o indispensável. Sobretudo não descuide da segurança. Capacete, luvas e óculos de proteção são indispensáveis. Um bom protetor solar e barras energéticas podem contribuir para um conforto maior do ciclista. O que não deve deixar de levar é água, e quanto mais melhor. Duas caramanholas de água ou um reservatório dos de transportar às costas, conhecido como “Camel Back”, transportarão a água que deve levar a beber com freqüência, para prevenir uma eventual desidratação.


Saindo do sedentarismo pelo ciclismo

03/05/2012

 

O ciclismo continua sendo um sinónimo de aventura. Independente de torneios, campeonatos ou qualquer competição. É comum amigos com interesses afins reunirem-se para fazer longos ou curtos passeios de bicicleta, mesmo que seja no monte ou em estrada, ou até mesmo em locais mais inóspitos e selvagens, regado a muita amizade, solidariedade e divertimento. O praticante do ciclismo é chamado de ciclista.

Há outros tipos de ciclismo, entre eles, o estático. O ciclismo estático é a prática de ciclismo em bicicletas ergométricas ( iguais de academias/ginásio). Esse exercício é recomendado também para as pessoas que apresentaram lesões nos joelhos, quadris, coluna e aqueles que não podem caminhar. É aconselhável à grávidas, idosos com problemas de osteoporose e principalmente obesos.

História do Ciclismo:

O Ciclismo surgiu  a partir do ano de 1890. Depois do surgimento nasceram as grandes provas que ao decorrer os anos, tornaram-se clássicos. No ano de 1893, foi realizado o primeiro campeonato do mundo. Com provas de sprints e meio fundo. Esta prova foi produzida para os corredores amadores.

O ciclismo começou a fazer parte dos campeonatos olímpicos desde  a primeira edição dos jogos em Atenas. Quando os eventos ainda eram feitos apenas na pista.

Uma atividade praticada somente por homens, foi em Seul em 1988, as mulheres participaram pela primeira vez.

É preciso ter alguns cuidados físicos.

Alguns cuidados físicos para o ciclismo:

Se você pretende praticar ciclismo, como outra atividade qualquer, precisa estar ciente de alguns cuidados que é preciso ter. Acima de tudo, a sua saúde é o mais importante. Por isso, acompanhe essas dicas:

· Dê preferência ao andar de bike no período vespertino, ou quando já não houver aquele sol muito quente.

É extremamente importante que antes de iniciar qualquer atividade física, procure um médico para verificar se pode exercitar sem correr riscos de saúde.

· Use sempre um relógio, pois ele determinará a duração da sua atividade física.

· O aquecimento é importante. Devem fazer-se alongamentos durante 10 minutos antes e após a atividade física.

· Alimentar-se com uma fruta ou suco/sumo (não mais que 200 ml), 30 minutos antes, durante e logo após o exercício. Ingerir água filtrada somente em pequenas quantidades.

· Devemos dar preferência para caminhar, pedalar ou nadar em um só período. Ao término da atividade física devemos sentir-nos bem. A qualquer sinal de dores, cãibras, falta de ar, cansaço extremo, é recomendado que pare. Depois, é recomendável um contato com o médico. A corrida pode ser uma coisa nessesaria pra saude e para o corpo.

Por Marcelo Rudini


A UCS é a bandeira de defesa da Categoria!

14/03/2012

Prezados Corretores,

Nunca é demais relembrar que ao falarmos da UCS, deve-se ter em mente que estamos tratando de uma entidade sem qualquer objetivo político ou partidário, individuais ou coletivos, tendo como único fim, a disponibilização, para os seus associados contribuintes, de ações, posicionamento perante o mercado, luta pelos interesses da categoria, denúncia sobre a prática de procedimentos contrários aos bons costumes e não pautados pela legalidade.

A moralidade, a ética, a seriedade, a conduta ilibada e, principalmente a fidelidade aos princípios de sua fundação, fazem da UCS a bandeira de defesa da categoria e, em especial, de você, que como associado acredita nesta luta e também nos resultados pretendidos.

Quando acionada, seja por um grupo de corretores, seja por algum em particular, a UCS, na obrigação de atender aos anseios de quem a procura, busca a solução mais apropriada ao caso em comento, seja através de negociação direta com o funcionário da Cia, seja, com o seu coordenador, gerente, superintendente, diretor, vice-presidente e, conforme o caso, com o presidente da Cia Seguradora.

Não existe outra forma imediata de solução de conflitos que não seja a da conversa franca, embasada em normas técnicas e na demonstração dos equívocos cometidos e da boa-fé dos corretores e/ou segurados na contratação da apólice em contento.

A UCS não leva em consideração a preferência de um, de alguns ou de todos na escolha da Cia em que seus associados direcionam suas produções, tornando-se totalmente imparcial quanto a este ou àquele Segurador em específico.

A missão da UCS, embora amplamente divulgada e por muitos até então ignorada, é a de facilitar o acesso dos corretores aos responsáveis pelas Seguradoras, para que estas tenham a disposição do grupo associado a UCS, funcionário responsável pelo atendimento dos pleitos, negociações, críticas e até sugestão de melhora nos produtos e no atendimento.

E assim vem agindo a UCS a todos os seus sócios contribuintes, trabalhando individualmente com cada seguradora, buscado a abertura de um canal de comunicação, por nós chamado de “canal aberto”, entre corretores e respectivas diretorias.

Assim como o trabalho feito perante as Cias, a UCS também está aberta a seus associados para o recebimento de críticas e sugestões que contribuam para o aperfeiçoamento das ações propostas.

E, defendendo a bandeira da isonomia, é que a UCS, através de seu presidente e diretores, se dispõem a abrir caminho para os demais corretores, deixando de lado seus afazeres cotidianos, seus negócios dentro de suas próprias corretoras, visando o bem estar de todos os associados.

Superada esta fase de esclarecimentos, há que se deixar claro que todas as visitas realizadas até então (Porto Seguro, Marítima , Bradesco e Mapfre) foram sim “muito produtivas”, atingindo a UCS todos os objetivos iniciais propostos, ou seja, estabelecido o “canal aberto” entre as mesmas e os corretores associados.

Há que se ter em mente que grandes conquistas foram atingidas, porém os objetivos futuros são bem mais ambiciosos e precisarão ainda mais da colaboração de todos vocês. Nossos próximos passos merecerão especial atenção, empenho máximo, sem medida de esforços para que estes novos objetivos sejam alcançados.

Desta forma, o recebimento de críticas e sugestões para a melhoria dos planos de ação da UCS serão sempre bem vindos, desde que quem os coloque em pauta, os façam com propriedade.

Esta propriedade pretendida apenas será alcançada quando todos os associados, de alguma forma, se envolverem diretamente nas discussões, que responda às convocações da UCS, participe ativamente das reuniões de pauta realizadas todas as primeiras terças-feiras do mês com a Presidência e com os Diretores engajados na causa da categoria.

Somente a partir deste momento, onde cada qual passa a assumir uma parcela de responsabilidade pelo desenvolvimento da UCS como associação que é, contribuindo para o crescimento ordenado e responsável da mesma, cumprindo com as suas obrigações contributivas, é que poderemos finalmente dizer a frase: VAMOS PENSAR JUNTOS?

A UCS sempre este a disposição de toda a categoria, sem distinção entre sócios contribuintes ou não, mas não há mais como não direcionarmos nossa atenção aos principais interessados no crescimento da mesma, motivo pelo qual, em respeito aos sócios contribuintes que se manifestaram, tecemos os comentários acima.

Aos que infelizmente ainda não o fizeram e preferem continuar a se beneficiar tanto do fórum quanto das ações da UCS sem a contrapartida da associação, não temos o que responder.

Lembramos que ainda temos visitas agendadas até o encerramento do exercício de 2012, visando o estabelecimento do “canal aberto” com mais Cias Seguradoras e, aproveitando a oportunidade, convocamos todos os interessados a participarem do desenvolvimento do trabalho, participando das reuniões mensais anteriormente mencionadas, para aí sim, pensarmos e agirmos em conjunto.

Atenciosamente,

Luiz Morales – Presidente UCS


UCS – União de Corretores de Seguros promove seu 1º Trocando Idéias de 2012

02/03/2012

No dia 14 de fevereiro, foi realizado o 1ᵒ Trocando Idéias entre os Corretores de Seguros de 2012, com a participação de quatro das maiores companhias de seguros representadas por seus executivos: Bradesco, HDI, Marítima e Porto Seguro.

Na abertura do evento, o presidente da UCS – Luiz Morales e sua diretoria, prestaram uma homenagem a dois grandes ícones do mercado segurador, falecidos recentemente, Leôncio Arruda e João Leopoldo Bracco, os quais, reconhecidamente, muito fizeram para o fortalecimento dos corretores de seguros no mercado.

Representando a Bradesco Seguros, Salomar Osti e Marcos Scherer demonstraram os crescimentos da seguradora em 2011, enfatizando o lançamento de novos produtos com maior oferta pelos corretores, que  representam mais de 70 %  da produção  da Cia. Outro fato novo, que alavancou as vendas, foi a simplificação no perfil do produto automóvel, dando maior agilidade a contratação. Para 2012, estão prevendo uma concorrência mais acirrada na carteira de auto, em virtude do apetite das seguradoras multinacionais em ganhar espaço no mercado brasileiro.

Por parte da Marítima Seguros, estiveram presentes Iliyria Xavier, Edílson Godoy e Edglei Monteiro, na ocasião discorreram sobre os bons resultados no alto índice de elevação do lucro obtido pela Cia. em 2011, advindos de uma ampla reestruturação da empresa, bem como na mudança de foco quanto a produtos e mercado, passando a atuar forte como uma seguradora de multiprodutos, livrando-se assim da forte concorrência em determinados segmentos, bem como das sazonalidades de mercado.

A Porto Seguro, representada por Rivaldo Leite e Laerte Dutra, salientaram que tiveram um ótimo desempenho em 2012, hoje já estando com a fusão com a Itauseg totalmente consolidada e, que alem de serem líder de mercado no produto automóvel, também vem diversificando para alguns segmentos, tendo também um forte foco em consórcio e estando se consolidando também na carteira de saúde  com produto diferenciado para empresas.

Participando pela HDI Seguros, Euclides Gerenutti Naliato – Diretor Comercial e Alessandra Ferreira dos Santos – Gerente Comercial, discorreram sobre as estratégias da seguradora  em elevar sua participação no mercado de seguros de automóvel, com operação recente na capital paulista e abertura de varias filiais estratégicas, já estão colhendo excelentes resultados e elevando sua participação de mercado.

O evento foi muito produtivo para os corretores e seguradores, sendo uma boa oportunidade para as seguradoras demonstrarem um pouco de suas estratégias e produtos,  bem como estreitarem seu relacionamento com os corretores presentes, pois são a mola propulsora da massificação da venda de seguros, embasada em conhecimento técnico e qualidade.

O SEGS – Portal Nacional de Seguros, representado no evento por Raul Marzochi e José Carlos Tegami, congratulam-se com a UCS pelo excelente nível dos eventos que vem promovendo e, sentem-se honrados em ser a midia convidada para todos encontros.

Raul Marzochi NOTÍCIAS – Seguros

http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=65626:ucs-uniao-de-corretores-de-seguros-promove-seu-1-trocando-ideias-de-2012&catid=45:cat-seguros&Itemid=324


Responsabilidades do Corretor de Seguros

06/02/2012

Por que o corretor de seguros deve fazer o Seguro de RC?

O maior impacto do Novo Código Civil aos corretores foi o princípio da Boa-Fé Objetiva. Isso se traduz em dever de conduta, de forma que o corretor aja sempre com probidade, honestidade, clareza de propósitos e transparência.

Como todos estão sujeitos a erros, notoriamente a procura pelo produto Responsabilidade Civil Profissional cresce à medida que aumenta a conscientização do corretor sobre a importância desse seguro, já que o principal beneficio é a proteção ao seu patrimônio, pois caso venha a ocorrer um dano ao seu cliente ele não terá que dispor dos seus bens para honrar a sua responsabilidade.

Quando o corretor entende realmente a proteção que terá, ele adquire de imediato o seguro!


Andar de Bicicleta

03/02/2012

Você pode utilizar para ir ao trabalho, fazer passeios ou praticar exercícios

A boa notícia: é indicada para todas as idades!

Antigamente era comum o uso de bicicleta como meio de locomoção nas capitais e, principalmente, nas pequenas cidades do interior e do litoral. O aumento do número de veículos tornou impossível a sua utilização nos grandes centros urbanos. A”velha” bike acabou ficando esquecida no fundo da garagem, restrita aos eventuais passeios de fim de semana nos parques.

Agora ela voltou. Sua utilização está sendo incentivada através de novos projetos que garantem a criação de ciclovias, faixas exclusivas e estacionamentos. Outro fator que contribui para esta iniciativa é a necessidade de redução da poluição.

Os especialistas indicam benefícios para o seu uso: menos tempo no trânsito e menos poluição para as cidades. A saúde também tem sua parcela de melhoria, já que ela ativa a musculatura e aumenta a resistência física.

Como usar a bicicleta com segurança
Equipamentos: campainha, adesivo refletivo que se ilumina com o farol dos carros, espelho retrovisor e farol.
Faça revisões periódicas.

Recomendações
Use sempre óculos de lentes transparentes para proteção dos olhos, luvas e capacete. Não use nenhum tipo de aparelho nos ouvidos, fique atento no trânsito.
Consulte um médico antes de começar as pedaladas.

Outros cuidados:
Respeite as Leis de Trânsito – cuidado com os veículos, pedestres e animais.
Não pedale na contramão e sinalize com o braço a direção que vai seguir.
Na faixa, desça da bike e atravesse como pedestre.

Seja sempre gentil e cuidadoso!